Dados, dados e mais dados. Um dos resultados mais palpáveis da revolução digital: começamos a gerar, armazenar, distribuir e interagir com uma quantidade enorme de dados numa base diária. Estima-se que em média gerem-se 2 megabytes de dados por segundo para cada pessoa do planeta; totalizando 40 trilhões de gigabytes de dados disponíveis. Para se ter uma ideia, isso é a capacidade de armazenamento disponível em 5 trilhões de DVDs = mais de 700 DVDs para cada habitante do planeta.

A revolução digital chegou em cada função dentro de uma startup e em cada departamento de uma empresa. Os processos são gradativamente digitalizados, como vimos no episódio passado LAB017 sobre Eficiência e Automação, gerando dados que podem - devem, como eu proponho - participar na parte mais importante do processo de gestão: a tomada de decisão.

Antes de compartilhar uma receita para fazer essa transformação no seu empreendimento, aproveito para recordar alguns aspectos importantes da tomada de decisão no contexto empresarial.

Como definir uma boa decisão de negócio

Em geral, boas decisões para o negócio são tomadas de forma objetiva, baseadas em fatos (não em opiniões) e de forma consistente, alinhadas com a equipe, com os objetivos, e com os valores da empresa. Cada um desses elementos precisam ser mantidos e podem até ser aprimorados através de um projeto de transformação digital para preservar a capacidade dos gestores e das equipes de tomarem decisões acertadas e ágeis para o seu negócio.

As 6 Etapas para a Tomada de Decisão na Era Digital

  1. Coleta de Dados (processos; Tudo que pode ser medido pode ser melhorado)
  2. Montar os indicadores (baseados nos objetivos)
  3. Visualização e Dashboards (indicadores, KPIs; Tableau e Google Data Studio)
  4. Análise dos Indicadores (onde estava, onde estou, para onde vou / meta)
  5. Alinhamento dos Gestores e da Equipe (resolver divergências de entendimento na equipe; a diferença entre ser data-driven e data-informed)
  6. Plano de Ação (o que de fato transforma o negócio, e os gestores já sabem fazer)
  1. Coleta de Dados

  • Ponto de vista de processos; 
  • Tudo que pode ser medido pode ser melhorado; 
  • pontos de coleta no processo
  1. Montar Indicadores e Métricas

  • alinhados com os objetivos da equipe e do negócio
  • montar os indicadores: eficiência, produtividade, tempo, resultado. Em vendas: receita, margem, lucro, atingimento de quota, valor médio por ordem; SaaS: custo de aquisição do cliente (CAC); receita média recorrente (MMR); clientes perdidos (churn); valor do cliente ao longo da vida (LTV)
  • estabelecer: onde estava (série histórica), onde estou, para onde vou / meta
  • Para facilitar a análise que vai acontecer, distinguir rapidamente entre o que está bem e o que está mal; metas atingidas ou em aberto
  1. Visualização e Dashboards

  • Gráficos, mapas de calor, tabelas e sparklines; bullets e interpretações
  • Excel / Google Sheets
  • Tableau e Google Data Studio
  1. Análise do Dashboard

  • Gap entre onde estava / onde estou
  • Gap entre onde estou / meta
  • Celebrar os atingimentos
  • Focar a discussão nas metas ainda em aberto
  1. Alinhamento dos Gestores e da Equipe

  • Um lado 100% humano e que não pode ser excluído de um projeto de transformação digital: resolver divergências de entendimento na equipe. Alimente continuamente a sua equipe com informações para que cada pessoa saiba orientar o seu trabalho de acordo com os objetivos e a situação atual do seu setor
  • a diferença entre ser guiado pelos dados (data-driven) ou informado pelos dados (data-informed)
  1. Planos de Ação

  • o que de fato transforma o negócio, e os gestores já sabem fazer: tomar decisões
  • plano com ações, responsáveis, datas, e rever o andamento das ações anteriores

 

E o processo reinicia! Mais ações, mais dados, mais análise, e novas decisões a serem tomadas para levar o negócio ao sucesso utilizando as poderosas ferramentas da Transformação Digital.

Share

Play this podcast on Podbean App